Saiba por que não conseguiu aquela vaga de emprego

01:15


Olá pessoas! Vocês já souberam da última pérola que tá rolando no nosso Brasil il il? Bem, parece que o querido Michel Temer mencionou a seguinte frase: "Não fale em crise, trabalhe", e um empresário resolveu espalhar a tal frase em Outdoors por aí. Pegando esse gancho de crise e trabalho, resolvi falar sobre desemprego. 
Na verdade, vou contar pra vocês alguns segredinhos que fui descobrindo ao longo dos meus 25 anos de vida, sobre coisas certas e erradas que a gente faz na hora de procurar um emprego. Já trabalhei em 6 lugares diferentes, e pra falar a verdade, acho que até hoje não encontrei ainda a profissão dos sonhos. Até porque, quem iria chamar de profissão dos sonhos um emprego onde se ganha um pouco mais de um salário mínimo né?! Deixa pra lá... Se você está desanimado porque acha que os empresários estão usando seu currículo como papel higiênico, saiba que talvez você esteja procurando emprego no lugar errado. Saiba porque:

Empresas buscam candidatos com até 22 anos de idade, mas com 20 de experiência.
É incrível como existe muito preconceito no mercado de trabalho, seja pelo estilo do candidato ou idade. Muitas empresas não contratam pessoas mais velhas, por achar que seriam um empecilho. Pessoas mais velhas tem mais responsabilidades fora do local de trabalho, portanto, ao olhar da empresa, estas pessoas teriam menos tempo para se dedicar ao seu cargo e mais obstáculos (filho que ficou doente, mãe/pai no asilo, marido/esposa que pulou a cerca, etc.). É aí que eles decidem contratar pessoas mais novas, mas com um detalhe: com 20 anos de experiência. Na minha opinião, nem sempre as empresas mais exigentes são as melhores para se trabalhar, portanto não vejo vantagens em me candidatar a uma vaga assim, mas primeiramente eu tentaria desvendar esse enigma.


Procure trabalho em locais que você se identifique
Com certeza você já ouviu aquela frase: Trabalhe com o que gosta e não terás que trabalhar um dia sequer na vida. Então, um dos empregos que mais gostei foi em uma Lan House. Vocês devem estar pensando que eu ficava na internet o dia todo né? Na verdade, além de serviço de Lan House, nós vendíamos camisetas alternativas, com estampas engraçadas e também de bandas. Além do pessoal que ia pra usar os computadores, iam os clientes compradores das camisetas, pessoal que eu me identificava, e era super legal trabalhar com "gente como a gente". Além de tudo, meu chefe era uma pessoa super legal e eu podia ir vestida da maneira que eu gostava, sem frescuras, e ninguém ia achar que eu tinha pacto com o capeta e nem iam querer me exorcizar. O bom de ter um emprego assim é que você acorda motivado todos os dias a dar o melhor de si, pois sabe que vai encontrar pessoas legais por lá e elas não vão se importar se você tem tatuagem, piercing, se usa preto, etc. O único contra era o salário, e foi o motivo pelo qual resolvi procurar outro emprego, pois nem tudo é perfeito né gente? 


A empresa tinha meu estilo, mas e eu, tinha o estilo da empresa?
Como nem tudo são flores, nem sempre conseguimos aquilo que desejamos. No mundo dos desempregados isso acontece frequentemente. Certa vez fiquei sabendo que uma empresa (ramo do comércio) estava contratando no setor de vendas, sexo feminino, idade entre 18 a 22 anos. Eu já tinha meus 23, mas pensei: "tenho experiência no ramo, vou enviar um currículo, vai que cola". Bom, numa hora dessas meu currículo deve estar na pilha de papel pra rascunho, e eu fiquei imaginando se minha idade teria influenciado em algo negativo ou o que poderia ser.


 Só que depois de um tempo percebi que além de a empresa dar preferência para as ninfetinhas que acabaram de sair do colegial, eles preferem contratar pessoas "populares", se é que me entendem. Preferem contratar jovens que tem mais 500 curtidas em uma foto no Facebook, pois assim eles podem usar seus funcionários como garotos propaganda e atrair mais clientela. A jogada da empresa é boa, mas isso significa que, se você é pobre e ganha só a curtida da sua mãe nas suas fotos, você jamais conseguirá emprego num lugar assim (que foi meu caso). O legal é que eles contratam pessoas sem experiência, o triste é saber que nesse tipo de lugar, sua experiência vale nada, pois o que vale é seu status social.


Experiência é essencial?
Como dito anteriormente, NÃO, nem sempre quem tem mais experiência vai ficar com a vaga. Meu primeiro emprego foi aos 15 anos, em uma papelaria. Na hora de contratar, a proprietária do estabelecimento dava preferência por gente "dentinho de leite" (até 18 anos no máximo), e foi aí que me dei bem. A preferência por gente sem experiência nesse lugar é para que o chefe possa ensinar o empregado a trabalhar da sua forma, sem vícios de antigos empregos. Nesse lugar, diferente do citado anteriormente, você não precisa ser famosinho na internet pra se dar bem, então caso você esteja procurando pelo seu primeiro emprego e não tem uma vida social muito badalada, pode procurar por locais assim para começar. 


Fique atento: As vezes você precisa ter Q.I
Q.I como vocês sabem é a sigla para Quociente de Inteligência. Mas no mundo do desemprego o Q.I pode significar outra coisa: Quem Indique. Ou seja, independente da sua idade ou experiência profissional, muitas vezes basta um empurrãozinho de algum conhecido pra você conseguir a vaga. Conheço lugares que antes de contratar alguém, marcam 30 entrevistas, fazem provas com os selecionados e ainda ligam para os antigos empregos para saber como o funcionário trabalhava. Mas se você tem o tal "Q.I", algumas dessas etapas até poderão ser eliminadas. Se você for da família então? Ahh, nem se fala. Triste, mas é a realidade. Mas se você tem o tal Q.I., não hesite em usar, é uma arma a seu favor.


Pra finalizar: Escolher ou não escolher, eis a questão!
As vezes quando você está desesperado atrás de um emprego, você espalha mil currículos pela cidade e ninguém te chama. De repente uma alma caridosa te contrata, e mesmo não gostando muito da opção, você vai fundo. Aí pronto, basta alguém te contratar e começa a chuva de ligações de outras empresas. Então você tem 2 opções: arrisca e parte pra outra "melhor", ou continua ali pois prefere não trocar o certo pelo duvidoso. Há 2 anos, aconteceu esse fato comigo, e eu resolvi não trocar, pois como diz o ditado, "mais vale um pássaro na mão do que dois voando". O resultado foi eu trabalhando no pior emprego que já tive, vendendo planos de telefonia móvel com um salário de merd...deixa pra lá. Eu nem avaliei a outra opção e já fui descartando, por achar que ia sair perdendo, pois no desespero pegamos a primeira coisa que vem pela frente e isso nem sempre é bom.  Por sorte pedi demissão a tempo de conseguir outro emprego bem rápido (que é onde estou atualmente). Se você não tem dívidas enormes e nem 10 filhos pra criar, acho legal arriscar (até rimou). Geralmente ficar escolhendo emprego não é uma opção muito inteligente, mas se você tem potencial pra estar em um lugar melhor, também não vale a pena se subestimar. 



Gente, e não esqueça que se nada der certo, você ainda pode tentar vender sua arte na praia, e ser seu próprio chefe, ok?! 


E você, tem alguma história trágica/engraçada/triste sobre trabalho pra contar? Comenta aí! Obs: As imagens/tirinhas usadas no post são da página Entrevistamento do Facebook! ;)

Você também poderá gostar de:

5 comentários

  1. Legal o seu texto. É bem assim mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Como sempre escrevendo bem , e falando a verdade. Adorei. 👏👏👏😘😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Sisley! Adoro te ver por aqui ;***

      Excluir
  3. Eita garota, triste realidade, estou nesse dilema.
    Ótimo texto.

    Jéssica T.

    ResponderExcluir

Deixe sua teoria sobre o assunto!